Pôr do Sol Recife Pernambuco - Brasil agosto de 2017 Foto GB/Arquivo Blog 14F

domingo, 27 de março de 2016

A construção mundial da Fisioterapia

Uma entidade de classe pode ser hegemônica? Se a considerarmos no entendimento da liderança exercida, a resposta é sim.

Hegemonia tem outros significados, na esfera militar e na política. De origem grega, indicando poder, dominio, supremacia. É no sentido de liderança o seu  emprego, para qualificar o modo atual de agir da Confederação Mundial de Fisioterapia WCPT, sob a presidência de Emma Stokes, que sabiamente afasta-se do corporativismo fácil, aproximando-se do interesse coletivo, do que é universal.

As recentes  atitudes da diretoria liderada por Stokes evidenciam a opção por esse caminho universal: credenciamento de dois programas de formação de Fisioterapeutas na China, para garantir que atendam às diretrizes acordadas internacionalmente. Encorajamento no sentido de que Fisioterapeutas defendam a inclusão de Pessoas com Deficiência na profissão; e finalmente, incentivando a categoria na participação essencial do planejamento e resposta a eventos como terremotos e inundações, ou seja, na gestão de desastres. 

É papel das  organizações membros da WCPT, a manifestação irrestrita de apoio à causa. Mas não somente essas organizações e os profissionais institucionalizados devem apoiá-la. A construção mundial da Fisioterapia passa por uma aliança com a organização, formada principalmente pelos Fisioterapeuta livres, não pertencentes a nenhuma entidade associativa. Aqueles profissionais que não esperam que outros respondam  por eles. Aqueles que vão à luta, no consultório, na clínica, no hospital; defendendo salários dignos e melhores condições de trabalho. Aqueles que veem no esforço da WCPT a possibilidade de construção mundial compartilhada.

O tempo que virá - pode ser utopia - vislumbra-se promissor para os que exercem a Fisioterapia e para os que usufruem seus benefícios.

segunda-feira, 21 de março de 2016

WCPT defende o envolvimento de Fisioterapeutas em gestão de desastres


 Londres  (via WCPT) - Novo relatório da Confederação Mundial de Fisioterapia WCPT defende o envolvimento de Fisioterapeutas em gestão de desastres.

Os Fisioterapeutas devem ser considerados fundamentais para a gestão de desastres, bem como uma parte intrínseca do planejamento e resposta a eventos como terremotos e inundações. Essa é a mensagem de uma nova e importante publicação da WCPT.

O relatório aponta para a necessidade de reabilitação de alta qualidade após desastres. Mas também enfatiza que o papel dos Fisioterapeutas não se limita à prestação direta de reabilitação. Esse papel abrange a preparação e recuperação funcional; incluindo avaliação, coordenação, apoio psicossocial e promoção à saúde.

O relatório, em sua totalidade, foi elaborado por um grupo consultivo do projeto, incluindo representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Médicos Sem Fronteiras, CBM Internacional e organizações membros da WCPT sediadas no Japão e Filipinas.

"É um documento muito oportuno, e será um grande recurso para os Fisioterapeutas, em particular aqueles que estão envolvidos no processo continuo de desastres, bem como na formação dos alunos", disse a Vice-presidente da WCPT Margot Skinner, que foi  membro do grupo consultivo do projeto.

A Consultora de Política Profissional da WCPT, Catherine Sykes, coautora do relatório juntamente com Pete Skelton, Fisioterapeuta residente em Londres e Gerente de Projetos de Reabilitação da Handicap International, trabalharam nas respostas de emergência no Nepal, Gaza, Iraque, Filipinas, Líbia, Jordânia e Haiti.

"Os desastres são um problema global crescente", disse Pete Skelton, Fisioterapeuta  coautor do relatório. E finalizou, "Este guia fornece informações críticas para os interessados ​​em resposta nacional ou internacional aos desastres, introduzindo orientação e evidência internacional. Criticamente, ele também é projetado para ajudar Fisioterapeutas, visando que se preparem para desastres antes que eles ocorram, e para apoiar aqueles que trabalham na reconstrução após um desastre".

O relatório, 'O papel dos Fisioterapeutas na gestão de desastres', está disponível para download no  site http://bit.ly/1Mp4w12.

sábado, 19 de março de 2016

Visualizações de página por País - Atualizado em 19/03/2016

Visualizações de página por país

Gráfico dos países mais populares entre os visualizadores do blog
Entrada       Visualizações de página
Brasil                    
              174477
Estados Unidos       
               42880     
Alemanha
                 8909
Rússia
                3624
Portugal
                3437
Ucrânia
                1888
China
                1604
França
                1502
Índia
                1270
Espanha                     
                1054

terça-feira, 15 de março de 2016

Fórum sobre Questões do Envelhecimento - 2016

A Universidade Católica de Pernambuco UNICAP fez a abertura, hoje, da versão 2016 do Fórum sobre Questões do Envelhecimento, com palestras do Médico e Escritor, Ronaldo Coreia de Brito e da Fisioterapeuta e Professora Universitária, Francisca Alves da Motta, sob o tema: "O que é viver com dignidade no Envelhecimento?". O Sindicato dos Servidores Federais de Pernambuco SINDSEP/PE é parceiro na elaboração do Fórum desde 2012 e promoveu em sua sede, no dia 10 de março, antecipação da abertura para seus filiados, com palestra e divulgação do calendário para este ano.

Voz e Violão com o Professor Gilmar, responsável pela parte musical do evento
O Advogado José Maria da Silva, Professor de Direito da UNICAP, na abertura oficial, atendendo pedido do Coordenador do Fórum, Professor João Luiz Correa Júnior, teceu comentário sobre a importância do Fórum e da sua continuidade, bem como opinou  sobre " o que é viver com dignidade no envelhecimento"

A Fisioterapeuta Marli Costa, da Secretaria de Cultura do Sindicato dos Servidores Públicos de Pernambuco SINDSEP/PE e o Coordenador do Fórum, Professor João Luiz, recepcionaram e apresentaram ao público presente, a Senhora Maria José da Conceição Silva, de 102 anos, membro do Grupo de Idosos Vamos Renascer
A longeva D. Maria José da Conceição Silva, um exemplo do que é viver com dignidade no envelhecimento

O Médico e Escritor Ronaldo Correa de Brito, emocionou a plateia com sua palestra focada no  aprendizado de vida com o Avô e com o Pai; e depois, em paralelo à vida acadêmica, quando da busca pelo conhecimento junto aos que denomina como Mestres, ou seja, aqueles que possuem o dom da cultura popular
Fisioterapeuta e Professora do Curso de Fisioterapia da UNICAP, a Dra. Francisca Motta repassou ao público informações sobre o processo fisioterapêutico utilizado na prevenção e tratamento de afecções osteomusculares, características do envelhecimento

Seguindo a tendência das versões anteriores, a plateia é predominantemente feminina

sexta-feira, 11 de março de 2016

Palestras antecedem abertura do Fórum sobre Questões do Envelhecimento


 O Sindicato dos Servidores Federais de Pernambuco SINDSEP/PE promoveu, na quinta-feira 10 de março, a antecipação da abertura do Fórum sobre Questões do Envelhecimento, com palestras em sua sede para filiados do órgão. O evento  contou com a participação da Mestra em Teoria Literária, Flávia de Andrade Lima, e do Professor de Teologia e Coordenador do Fórum, João Luiz Correa Júnior; os palestrantes abordaram o tema "Envelhecer com Dignidade: Uma busca de todos nós". A abertura oficial ocorrerá no dia 15 deste mês, no Auditório G1 da Universidade Católica de Pernambuco UNICAP. Desde 2012 o Sindicato e a UNICAP são parceiros na elaboração do Fórum.

Programação para o ano de 2016
A palestrante Professora Flávia Andrade Lima, a Coordenadora Geral do SINDSEP/PE Graça Oliveira, responsável pela abertura dos trabalhos e o Professor João Luiz Correa Júnior, Coordenador do Fórum, também palestrante.
 A Fisioterapeuta Marli Costa, da Secretaria de Cultura do SINDSEP/PE, substituiu a Coordenadora Geral, Graça Oliveira, dando sequência ao evento.
Participação de filiados ao Sindicato, incluindo aposentados e pensionistas.

sexta-feira, 4 de março de 2016

IV Congresso Brasileiro de Fisioterapia - Registro histórico

#HistóriadaFisioterapia  -  IV CBF realizado em Recife, de 08 a 13 de outubro de 1979; coincidindo o dia 13 com a comemoração do Dia Nacional do Fisioterapeuta. Uma das primeiras comemorações oficiais. 

________________________ 

Nota do Editor
A política de postagens do Blog 14-F FISIOTERAPIA, defende a preservação da memória dos fatos e eventos que contribuíram para o desenvolvimento  e engrandecimento da  história da profissão.



quarta-feira, 2 de março de 2016

Avanço na inclusão de Pessoas com Deficiência

Sem dúvida alguma, o mundo encontra-se num processo de transformação, que também pode significar mudança.  Isso já estava claro na mente dos intelectuais em 2007, quando da realização do Seminário "Mutações: novas configurações do mundo" com Curadoria de Adauto Novaes, sendo Gilberto Gil o Ministro da Cultura.  Do texto de apresentação do Seminário, transcrevemos o que diz inicialmente o já citado Novaes: "As novas imagens do mundo convidam-nos a esquecer a noção de crise. Pensemos pois na ideia de mutação".

Trazendo tal ideia para o contexto fisioterapêutico, encontramos uma dessas transformações/mutações no documento recentemente divulgado pela Confederação Mundial de Fisioterapia WCPT, que convoca a categoria representada a incluir na sua profissão Pessoas com Deficiência. A priori, as palavras de Margot Skinner, Vice-Presidente da organização, constituem a síntese do documento: "Como Fisioterapeutas administramos muito bem o processo terapêutico para nossos pacientes/clientes com deficiência focando na prevenção. Mas há espaço para melhorarmos nossa atitude ao aceitarmos a deficiência em nossa própria profissão".

Voltando ao texto de Novaes constatamos que cita o Poeta Paul Valéry: "O que seria de nós sem o socorro do que não existe?". A transformação/mutação da Fisioterapia consiste - nesse momento - no êxito da convocação da WCPT, uma revolução antropológica de verdadeira inclusão; isso vai mais longe que a acessibilidade permitida por rampas e elevadores acoplados aos meios de transporte, bem como ultrapassa, do ponto de vista de conquista social, a legislação referente às cotas de trabalho nas empresas e cursos universitários.

É importante lembrar que 35 anos separam o Ano Internacional das Pessoas Portadoras de Deficiência -  instituido pela Organização da Nações Unidas - do Documento divulgado pela WCPT. Em 1981 havia a denominação "Pessoas Portadoras de Deficiência" modificada em decorrência da luta das entidades de defesa dos direitos dessa categoria para "Pessoa com Deficiência", o que faz muita diferença como conceito ou concepção genérica.

Uma transformação lenta e gradual; não havendo porém possibilidade de retrocesso.


________________


Para saber mais acesse o link: http://www.wcpt.org/news/Disability-briefing-Feb16