Setúbal - Recife Pernambuco - Brasil maio de 2017 Foto
Alexandre Costa

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Declaração de política da Confederação Mundial de Fisioterapia sobre mutilação genital feminina

Declaração de Política

A Confederação Mundial de Fisioterapia (WCPT) se opõe a todas as formas de mutilação genital feminina (MGF). Mutilação genital é uma violação fundamental das meninas e dos direitos das mulheres, incluindo o direito à vida, o direito à integridade física e o direito à saúde. Na ausência de qualquer necessidade médica, a mutilação genital submete meninas e mulheres a riscos de saúde e tem consequências potencialmente fatais. Além disso, ela viola a Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança e viola o princípio ético fundamental de "não fazer mal". [1] [2]. A  WCPT defende que o Fisioterapeuta deve estar ciente de que esta prática tem graves consequências para a saúde física e mental . 


Mutilação genital feminina  (MGF), muitas vezes referida como "circuncisão feminina", compreende todos os procedimentos que envolvam a remoção parcial ou total dos órgãos genitais femininos externos ou outras lesões nos órgãos genitais femininos por razões não terapêuticas, culturais, religiosas ou outras. A WCPT reconhece que a mudança nesta prática pode exigir tempo e grande sensibilidade às normas culturalmente aceitas, mas que devem ser feitos todos os esforços para proteger as meninas e as mulheres da  MGF e para educar e modificar o comportamento, no sentido de concorrer para a sua eliminação.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), em conjunto com uma ampla gama de organizações internacionais, incluindo a WCPT, mantêm  a visão de que não há justificativa para a MGF. [1]

Reconhece a WCPT o importante papel que a Organização Internacional de Fisioterapeutas em Saúde Feminina tem desempenhado na sensibilização para esta questão; desse modo, a WCPT dá o seu total apoio à  declaração de posição sobre a MGF. [3]

Além disso, a WCPT apoia:

    - a estratégia global para acabar com os prestadores de cuidados de saúde que realizam a mutilação genital feminina [4];

 
    - a declaração conjunta política da OMS / UNICEF / UNFPA sobre a MGF, que promove o desenvolvimento de políticas e ações a nível global, regional e nacional;

 
    - a Declaração do Cairo para a Eliminação da Mutilação Genital Feminina [5];

 
    - a Declaração da Associação Médica Mundial sobre a MGF e sua resolução sobre a violência contra mulheres e crianças [6] [7]
da Confederação Internacional de Parteiras Declaração sobre a Mutilação Genital Feminina [8] e a 'FGM Campanha Pare' [9]

A WCPT insta todas as organizações membros a unir esforços nacionais e internacionais, para se opor e eliminar essa prática acreditando que só através da colaboração internacional será possível envidar esforços para eliminar a MGF


Referências:
  1. UNAIDS, UNDP, UNFPA, UNHCR, UNICEF, UNIFEM, et al. Global strategy to stop health-care providers from performing female genital mutilation. Geneva, Switzerland: WHO; 2010.  (Access date 23rd November 2010).
  2. United Nations. Convention on the Rights of the Child. New York, USA: United Nations; 1989.  (Access date 17th November 2010).
  3. International Organisation of Physical Therapists in Women’s Health. Position Statement on Female Genital Mutilation.: IOPTWH; 2006.  (Access date 23rd November 2010).
  4. World Health Organization. Global strategy to stop health-care providers from performing female genital mutilation. UNAIDS, UNDP, UNFPA, UNHCR, UNICEF, UNIFEM, WHO, FIGO, ICN, IOM, MWIA, WCPT, WMA. Geneva, Switzerland: WHO; 2010.  (Access date 23rd November 2010).
  5. The National Council for Childhood and Motherhood. Cairo Declaration for the Elimination of Female Genital Mutilation: Within the framework of Stop FGM Campaign - Afro-Arab expert consultation legal tools for the prevention of female genital mutilation. Cairo, Egypt: The National Council for Childhood and Motherhood; 2003.  (Access date 23rd November 2010).
  6. World Medical Association. World Medical Association (WMA) Resolution on Violence against Women and Girls Adopted by the WMA General Assembly, Vancouver, Canada, October 2010. Ferney-Voltaire, France: WMA; 2010.  (Access date 23rd November 2010).
  7. World Medical Association. WMA Statement on Female Genital Mutilation. Ferney-Voltaire, France: WMA; 2005.  (Access date 23rd November 2010).
  8. International Confederation for Midwives. Position Statement on Female Genital Mutilation. the Hague, the Netherlands: ICM; 2005.  (Access date 23rd November 2010).
  9. International campaign for the abandonment of female genital mutilation/cutting. Stop FGM Campaign home page. Stop FGM Campaign; 2010 (23rd November 2010); Available from: http://www.stopfgmc.org/
     
    Fonte: http://www.wcpt.org/policy/ps-FGM
Assista o vídeo da Organização Mundial de Saúde  -  via YouTube


Nenhum comentário:

Postar um comentário